Pirataria versus grandes marcas

Lendo sobre alguns insights de Lenderman (2009) no seu livro Brand New Word: how paupers, pirates, and oligarchs are reshaping business, observa-se um olhar sobre as nações do BRIC – Brasil, Rússia, Índia e China quanto à proliferação da pirataria, seus efeitos nas marcas mais pirateadas e as estratégias de algumas empresas para lidar com essa realidade.

Ele apresenta que prever para 2010 uma representatividade do BRIC em 10% da economia global em detrimento de 15% da economia dos Estados Unidos, Europa e Japão.  Diante desses cenários, grandes marcas que entram nesse mercado estão perdendo seus ganhos por conta da pirataria, além de deixar a marca obsoleta rapidamente.

Marcas que possuem toda uma coleção que é lançada no verão e que nessa mesma estação ela é copiada e triplicada as vendas genericamente. As grandes empresas, elas não só estão perdendo o retorno de seu investimento de seus lançamentos, mas a própria marca vai sendo depreciada e perdendo seu status perante seu público-alvo desejado.

Fonte: http://www.flickr.com/photos/mcmoraescosta/4105668891/Diante disso essas empresas estão com seu próprio desafio de promover uma competitividade sustentável, não utilizando abordagens tradicionais. Estão agora de inovar de forma sustentável, desenvolvendo produtos e seus substitutos com maior rapidez, além de elaborarem parcerias com outras empresas para dificultar a pirataria.  Já encontramos alguns exemplos no mercado internacional e local como por exemplo, lançamento de coleções com edição limitada com ou sem apelo de responsabilidade social, a Nike desenvolveu um tênis em parceria com a Apple (tênis com chip que transmite para o ipod ou iphone sua performance, podendo costumizar as informações) e outras estratégias.

Essa situação, ainda vamos, assistir muitas brigas de mercado e de sobrevivência que poderão facilitar as possibilidades para os consumidores e quebradeira de empresas.

Você poderá está se perguntando se o que isso tem haver com a micro e pequena empresa…. – Eu diria: tem tudo haver! Muitas empresas revendem esses produtos originais e perdem mercado por conta da pirataria presente na vizinhança e outras reclamam que seus produtos e serviços são copiados pela concorrência e aí vem a lição de ter que usar a criatividade para manter sua competitividade, inovando a baixo custo e ou em parceria com outras pequenas empresas.

Por Conceição Moraes

Uma resposta para Pirataria versus grandes marcas

  1. […] Novembro 16, 2009 por Conceição Moraes Gostaria de compartilhar este meu post no Blog Sebrae Pernambuco, eu reflito sobre as consequencias da pirataria nas grandes marcas. https://sebraepernambuco.wordpress.com/2009/11/15/pirataria-versus-grandes-marcas/ […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: