Plano de negócios: Não basta sonhar é preciso “sonhar direito”.

 

Certamente pelo menos uma vez na vida você já pensou em montar seu negócio próprio. Algumas pessoas transformam este desejo em objetivo e constituem sua empresa. Dentre elas existem os românticos e os que tem espírito de liberdade.

 

Os românticos são os que acreditam poder iniciar um negócio do nada, sem dinheiro e sem apoio, transformando-o no futuro em um grande império. Com a atual guerra de preços, de mercado e com os “asiáticos” batendo na porta a jornada pode ser bem mais árdua.

 

As pessoas com espírito de liberdade são aquelas que querem ser donas do próprio nariz ou não ter chefe. Ledo engano. Em muitos casos um desentendimento com o chefe pode gerar desconforto temporário, mas não a demissão. Você continua na empresa, sabendo quando e quanto vai receber. O cliente por sua vez pode se transformar em uma espécie de chefe cruel, sem desentendimento com o empreendedor ele simplesmente jamais retornará por uma simples insatisfação.

O ideal é que o empreendimento seja criado com base em uma oportunidade, ou seja, existe uma carência no mercado e o empreendedor tem conhecimentos, habilidades e atitudes suficientes para explorá-lo. Aqui começa o quesito “sonhar direito”.

 

A grande maioria dos novos negócios está embasada somente no conhecimento técnico. É o caso, por exemplo, do padeiro experiente que inicia uma nova padaria sem conhecimento de gestão. Em alguns casos o conhecimento administrativo é mínimo ou nulo, desta forma o produto pode ser muito bom, o atendimento primoroso e o cliente sair satisfeito, porém, se o controle dos custos e a formação de preços estiverem errados o negócio pode ruir em pouco tempo.

 

O plano de negócio é uma ferramenta que possibilita levantar informações da viabilidade mercadológica e financeira do negócio antes do investimento financeiro. Você consegue antever acontecimentos positivos ou negativos ao empreendimento antes de colocar a mão no bolso. É uma fotografia de um cenário, caso se confirme você sabe as chances de sucesso ou não do negócio.

 

O plano de negócio não deve ser feito e abandonado, ele deve ser atualizado constantemente, assim você consegue acompanhar indicadores importantes como Lucratividade, Rentabilidade, Ponto de Equilíbrio e Prazo de Retorno do Investimento.

 

Por fim, conseguir conquistar os clientes oferecendo mais do mesmo é uma estratégia de pouco sucesso. O mercado do novo negócio já existe e tem seus players, literalmente será necessário “roubar” clientes dos concorrentes.  O cliente já tem um fornecedor que o atende, o empreendedor terá que convencê-lo que oferece algo suficientemente bom para que abandone uma relação já existente.

 

Sonhe, mas sonhe direito!

 

Por Marco Antônio Murara – Sebrae/SC http://professormurara.wordpress.com/about/

 

 

 

Uma resposta para Plano de negócios: Não basta sonhar é preciso “sonhar direito”.

  1. daniel nobre da silva disse:

    realmente muito dificil abrir o proprio negocio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: