Este negócio vai dar certo?

4097633855_f51bf5f9a7_m
Em tese todo brasileiro nasce com a predisposição de ser um craque no futebol. Não só o talento, mas principalmente uma série de circunstâncias ambientais pode proporcionar ou não a confirmação desta tese. Na infância, enquanto dono do campo e da bola eu sempre tive lugar garantido no time, porém na vida adulta sequer meus amigos convidam para uma “pelada”. Em verdade eles sabem que vão passar por momentos de raiva pela minha falta de intimidade com a gorduchinha.

Uma série de variáveis determinam o sucesso ou fracasso de um novo empreendimento. Ninguém pode garantir com total certeza que um novo negócio irá prosperar. A variável legal é uma delas. Da noite para o dia milhares de bingos eletrônicos fecharam as portas em todo o Brasil por força de uma lei. Embora os bingos se mostrassem rentáveis e com boa possibilidade de sucesso.

A empresa Olivetti foi até meados dos anos 90 a Apple das máquinas de escrever e se reusou a aceitar a variável tecnológica. Os computadores tiveram seu tamanho reduzido, ganharam as pequenas empresas e depois as casas. A Olivetti e as escolas de datilografia morreram.

O que você tem para ofertar é realmente o que as pessoas estão procurando ou precisam? Esta é a grande pergunta da variável mercado. É necessário investigar, descobrir e satisfazer as necessidades dos seus futuros clientes que não está sendo plenamente atendidas.

O ideal é que você tenha os recursos para o investimento inicial (máquinas, equipamentos, adaptações do imóvel, etc.) e o capital de giro (dinheiro para manter a empresa funcionando por pelo menos 6 meses). A variável financeira é a base para iniciar o negócio. O risco aumenta muito iniciando o negócio sem dinheiro e com um financiamento para pagar.

A falta da variável qualidade da gestão pode levar tudo para o buraco. De nada adianta um bom produto, bom atendimento, preço competitivo e bom volume de vendas se você não administra corretamente o negócio. Manter a gestão na ponta do lápis é fator primordial.

Ter um bom plano de negócio, conhecimento em gestão e o dinheiro para montar um negócio próprio não garantem o retorno do investimento, a sustentabilidade econômica e a perenidade do mesmo, isto somente reduz os riscos de fracasso. Agora imagine os riscos de montar um negócio “no peito e na raça”, sem planejamento e recursos?

Por Professor Murara – Sebrae/SC

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: